9 de novembro de 2009

Entre o alvo e a seta

"Um ano depois do início da crise financeira global, já tem gente comemorando a retomada do crescimento econômico, como se não estivesse justamente aí o germe da insustentabilidade do planeta."
Entre a arca de Noé e a torre de Babel - Geraldo Hasse - 1/10/2009

E não é que eu, que pateticamente me considero bonzinho e preocupado com o planeta, estou feliz da vida com a retomada do crescimento que me garante o emprego e os canapés? Farsante miserável é o que sou. Quem me livrará do corpo dessa morte?

Para tentar desviar sua atenção da minha total falta de escrúpulos e recuperar a aura de boa gente preocupada com a humanidade, deixo cair discretamente em seu monitor a canção de Pedro Abrunhosa, sem que a mão esquerda saiba o que fez a direita.

"De costas voltadas não se vê o futuro
Nem o rumo da bala, nem a falha no muro
E alguém me gritava, com voz de profeta
Que o caminho se faz entre o alvo e a seta"



Para Quintani, a voz do profeta.

4 comentários:

  1. Mas, e se a gente for seta sem alvo, lançada no ar, sem saber pra onde ir... E se ninguém me diz onde é a estrada porque não há, ela se faz "ao caminhar"... E se??

    ResponderExcluir
  2. É Rubinho. Quisera fosse fácil. O negócio é sair procurando esse alvo bendito, suponho. Se vc encontrar me avise onde está...

    ResponderExcluir
  3. Ulisses3:26 PM

    Muito bacana a musica (letra, melodia, arranjos e tal). Lembrou-me bastante, sobretudo pela interpretação, o Belchior. Enfim, parabéns pelo blog e pela retomada do crescimento!

    ResponderExcluir