4 de dezembro de 2008

Em todos os cantos

Estava sujo de lama quando o vi. Os olhos cheios de lágrimas que escorriam revelando finas linhas de pele escura sob o lodo malcheiroso da enchente. Chorava entre as casas destruídas, entre os destroços, entre o desespero. Vi o amor escorrendo como lágrima em dor e angústia e o desejo de abraçar a todos.

Vi-o também caminhando convicto carregando móveis, roupas e eletrodomésticos completamente destruídos, escorrendo suor, juntando entulhos, limpando bueiros.

Encontrei-o fardado, em tanques e caminhões, carregando macas. Vislumbrei-o de longe, chorando e assustado em casas inacessíveis.

Vi-o passando fome, bebendo água contaminada.

Observei a força de seus braços carregando alimentos e colchões. E vi o misto de tristeza e esperança em seus olhos enquanto separava roupas, brinquedos e comida nos galpões que recebiam doações.

Encontrei-o criança, inseguro, agarrado na saia da mãe; e idoso, suportando o rombo que lhe rebentou a alma enquanto toda sua vida deslizava em avalanches de lama, árvores, telhas e história.

Abracei-o, enfim, num canto isolado e inacessível, e choramos juntos.

Nos últimos 10 dias, Deus estava por todos os cantos em Blumenau.

11 comentários:

  1. Deus está onde sempre esteve... em todo lugar, com cada um.

    ResponderExcluir
  2. Me emocionei ao ler...Deus está realmente em todo lugar.

    Às vezes demoramos a compreender, qdo a benção demora. Mas ela vem.

    ResponderExcluir
  3. Gaby Heimann4:49 PM

    Nossa Tuco que coisa mais profunda isso...chorei, chorei ao ler e pensar em tudo isso que aconteceu e que está acontecendo...
    admiro sua disposição e de sua familia, abnegação digna de cópia :)
    Beijos Gaby Heimann

    ResponderExcluir
  4. A porção divina que reside neste cafajeste chorou ao ler este texto. Ela não sabe que tenho coisas mais importantes para fazer, e quer arruinar a minha vida "para salvá-la".

    Cada idéia.

    ResponderExcluir
  5. É Rubinho. Ele é tão comum que passa despercebido.
    Lia, a bênção demora mas vem... ou não.
    Gaby, valeu.
    Paulo, essa porção divina é mesmo muito estranha.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. "a bênção demora mas vem... ou não."

    Depende em grande parte de alguém se dispor a levá-la.

    ResponderExcluir
  7. Mas ele não está onde e nem como imaginamos, ele é só um de nós e continua sendo ele mesmo. Um dos melhores posts que li nesses três anos de blogosfera.

    ResponderExcluir
  8. Tuco,

    Não se surpreenda se eu lhe disser que ele também perambula por Beagá; só nunca tenho braços para acolhê-lo como merece e necessita.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Alguém dispôr-se é o maior milagre que podemos observar.

    Lou, obrigado. Deve ter sido uma das melhores coisas que escrevi mesmo.

    Alysson, o consolo é que ele não exige que façamos o que ele merece, caso contrário estaríamos todos fritos!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Seu texto, e a situleza com a qual você colocou suas palavras e frases devem produzir em cada uma de nós, no mínimo, uma profunda reflexão sobre nossa visão acerca de Deus. Há pouco mais de um ano escrevi um texto sobre a presença de Deus no voo 3054 da TAM. E como você bem anotou nas entrelinhas de seu texto, normalmente não percebemos Deus nos lugares mais óbvios. Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Éhhhhhh, Tucão! Á luz de tudo que disse e tem dito na e pela Trilha, bem como o Brabo, somado ao que a Palavra diz e revela sobre o "Homem sem aparência ou formosura", dá pra se afirmar sem sombra alguma de dúvida: vamos ter muita surpresa no céu no sentido de gente que sequer imaginávamos estar lá. Bem como no inferno. Embora talvez não estejamos lá pra ver... Uh lá lá. A gente que se cuide... Grande abraço Tucão (Marcelo jornalista)

    ResponderExcluir