1 de dezembro de 2008

Resgates compulsórios [1]

Incríveis histórias medíocres de montanha – a série

14.

Se você é um freqüentador assíduo de montanhas, fatalmente, mas cedo ou mais tarde, vai encontrar alguém precisando de ajuda. Perdidos, machucados, bêbados, drogados, apavorados, receosos, inseguros, neuróticos, acrofóbicos, frescos ou carentes, não importa, alguém, em algum momento, ou em vários, estará à deriva entre vales e cristas, sem saber para onde ir, como ir ou sem condições de ir. Encontrei, em minhas caminhadas por aí, todos os tipos acima em situações cômicas, trágicas ou tragicômicas. Os dias de procissão foram, de longe, os grandes campeões. Centenas de pessoas subiam o morro. Algumas dúzias para a missa lá em cima. O restante para bagunçar mesmo. Descíamos vários corpos em coma alcoólico, e alguns outros completamente alienados por um entorpecente qualquer. Os sãos também davam trabalho torcendo o tornozelo, despencando nas rampas de rocha próximas do cume, tendo crises de asma, pressão baixa ou canseira aguda. E nós lá, voluntariamente, graciosamente, encarnando algum tipo de santo montanhês altruísta, carregávamos essa gente morro abaixo.

Mas nem só de procissão vivem os acidentes.

_____

Acompanhe:
Incríveis histórias medíocres de montanha – a série
1. Apresentação
2. O menino de asas
3. Queda livre

4. Às vezes falha
5. O Raio que o parta
6. Sopão
7. Cadê o caroço
8. Do piso ao teto
9. A chave da terra de Malboro
10. Meia lua inteira
11. Gênesis
12. Macacos me mordam
13. O Eterno
14. Resgates compulsórios 1

2 comentários:

  1. Isso sem falar dos ataques de abelhas...

    ResponderExcluir
  2. E tempestades magnéticas...

    ResponderExcluir