19 de janeiro de 2012

Quatro paredes



Quanto mais leio o evangelho mais me convenço de que o sonho do reino é, ao mesmo tempo, muitas vezes mais ambicioso e muitas vezes mais modesto do que todas as igrejas dão a entender. Diante do mundo novo esboçado pelas parábolas do reino e pelo modo de vida do seu narrador, a igreja formal parece ter se conformado com pouco.

Com este texto, o autor quer que todos ponderem que a igreja, como indicada no Novo Testamento, deve incluir muito mais do que estamos acostumados a pensar. E se a igreja for um lugar de onde ninguém pode sair, mesmo se quiser? E se for uma graça estendida ao mundo, e não um projeto de seleção? E se a expressão “os portões do inferno não prevalecerão contra ela” for indicação de que só o inferno tem portões, e não a igreja?

Se aspas são quatro paredes, ninguém deveria ser capaz de colocar paredes ao redor da igreja. Este livro quer levá-lo a um lugar de onde você possa vislumbrar isso.



Paulo Brabo, na contra-capa do livro Igreja Entre Aspas.
Logo, logo, nas livrarias e on line.

2 comentários:

  1. Olá Tuco,
    Não fiz nada de mais, apenas reconheci que em "Igreja entre aspas" você abordou um tema inquietante. Siga por essa trilha e chegará bem... Prazer em conhecê-lo.

    Chagas

    ResponderExcluir
  2. Ler este prefácio pelo Brabo, e a descrição do livro, me instigaram bastante pra fazer a leitura completa do seu "Igreja entre aspas".
    Acabo de baixar as primeiras páginas no site da Editora Grafar.
    Quando possível, irei adquirir meu exemplar.
    Um abraço e sucesso!

    ResponderExcluir