22 de abril de 2007

Todo mundo tem um parente famoso

Todo mundo tem alguém famoso na família. Pelo bem ou pelo mal, algum parente brilha. O meu parente mais famoso brilhou nos palcos do Brasil, nos anos 40 e 50. Irmã do meu avô, conheci a tia Stelinha quando já estava aposentada dos palcos e retornou com seu marido e maestro Lindolpho Gomes Gaya, para a ainda pacata Curitiba. Foi parceira de Luis Gonzaga, cantou junto com Dorival Caymmi e Silvio Caldas, entre muito outros feitos notáveis.

Para mim, um piá com 13/14 anos, ela era uma tia tão querida quanto doida. Me levou na sua Caravan algumas vezes pra tomar sorvete no centro, com sua magnífica peruca ruiva (que brilhou também nos palcos das esquetes cômicas dos grupos de jovens) e calçando um sapato de cada cor.

Quem a conheceu melhor foi meu mano que, depois da morte do Gaya, dormia na casa dela para lhe fazer companhia.

Uma das histórias que contava, olhando para cima, tentando agarrar com os olhos, no céu, os fiapos da memória, era de um menino tímido que freqüentava sua casa, no Rio. Aparecia por lá levando umas musiquinhas bonitas para o Gaya fazer os arranjos. Passavam algumas horas no piano, com outros músicos, até que ela, braba como todo bom Egg, tocava todo mundo de casa para poder dormir. O menino queria gravar um disco, mas não queria cantar. Achava que precisava de um intérprete. Ela e o Gaya insistiram tanto que convenceram o rapaz. O nome do guri ela nunca lembrava, mas não podia esquecer uma das musiquinhas que ela mais gostava.


Estava a toa na vida
Meu amor me chamou
Pra ver a banda passar
Tocando coisas de amor...

Segundo as lendas da família, a tia Stelinha e o Gaya foram padrinhos de casamento do Chico Buarque e Marieta Severo.
---

(Gastei algumas horas frustantes da minha vida tentando digitalizar algumas gravações antigas da tia famosa. O resultado lastimável está aí em baixo. Se eu conseguir melhorar isso depois, atualizo).
Já atualizei :-)

---

Mais sobre Stelinha Egg aqui.
Uma biografia bacana
aqui.
Discografia
aqui.
Stelinha e Gaya – uma história de amor.A voz que levou nosso folclore até a Rússia.
Um monte de coisas
aqui.

3 comentários:

  1. Tuco:
    Depois de ler sobre o Rei, me comoveu constatar que alguém da família se interessa e vai perpetuar o nome da tia Stellinha.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Que post mais prazeroso! Muito bom. Parabéns pela tia famosa.

    Um abraço.

    ResponderExcluir