15 de abril de 2010

Chuva de Ouro

A música é do Cézar do Acordeon, acompanhado do Gilson Bizerra no violão. Foi composta na varanda lá de casa, com a dupla olhando as flores douradas da Chuva de Ouro, arvorezinha desavergonhada que não poupa ninguém de sua enebriante beleza. Floresce no início do outono, fazendo a primavera corar de inveja, e pinta generosamente meu mato de amarelo vivo. A letra é minha, mas não está cantada. Pegue a melodia no vídeo, gravado na Fundação Cultural de Rio do Sul, com o Roberto Diamanso no Cajón, e cante você mesmo.




Chuva de Ouro
Música: Cezar do Acordeon
Letra: Tuco Egg

Olha
A tristeza bate forte
Sem pena de maltratar, fazer chorar
Aquele que anda sem ninguém
Quem sabe só de si
Não pode repartir

Sabe
O valor da amizade
Nos encontros casuais, banais até
É como chuva de ouro eu sei
Quando dois ou três
Se juntam pra cantar

Um dia
Chegarão de todo canto
Vindo para festejar, dançar ao Rei
Aquele que os salvou de si
E os fez darem as mãos
Viverem como irmãos

Hoje
A sombra de uma Senna*
Repartindo uma canção, e o coração
Vidas tão distantes são
Como um prenúncio
Daquilo que será


*Senna macranthera: nome científico da árvore
denominada popularmente de “Chuva de ouro”,
que com suas flores de amarelo vivo pinta o
chão de dourado no início do outono.

3 comentários:

  1. "Vidas tão distantes são
    Como um prenúncio
    Daquilo que será"

    Parece até nossa comunhão virtual via blogosfera...
    Linda letra e melodia; imenso sanfoneiro!

    ResponderExcluir
  2. HEhehe...
    Ficou muito lindinha.
    Acho que consegui cantar a letra encaixadinha na melodia.

    ResponderExcluir