13 de junho de 2007

O coração pulsante do mestre

Sem suas feridas, onde estaria seu poder?

---

A vida dos que se engajam plenamente no conflito humano será crivada de balas. O que aconteceu com Jesus vai, de alguma forma, acontecer conosco. As feridas são necessárias. A alma, assim como o corpo, precisa ser ferida. Pensar que o estado natural e apropriado é permanecer ileso é pura ilusão. Aqueles que usam coletes a prova de balas para se proteger do fracasso, do naufrágio e do coração despedaçado nunca saberão o que é o amor. A vida sem ferimentos não mostra nenhuma semelhança com a do Mestre.

---

As depressãos, ciumeiras, narcisismo e fracassos não estão na contramão da vida espiritual. Na verdade, lhe são essenciais. Quando cultivados, impedem que o espírito entre arremetidamente no ozônio de perfeccionismo e orgulho espiritual.
Thomas Moore, The care of the soul, P. 263

O impostor que vive em mim não deve (nem pode) ser morto, mas encarado com sinceridade.

---

Com quem falarei abertamente? A quem posso revelar minha alma? Para quem ousarei dizer que sou malévolo e benevolente, casto e vulgar, compassivo e vingativo, altruísta e egoísta; que por debaixo de minhas palavras corajosas vive uma criança assustada, que me imiscuo na religião e na pornografia, que manchei o cará­ter de um amigo, traí a confiança, violei uma confidencia, que sou condescendente e sério, intolerante e fanfarrão, que realmente odeio quiabo?

Se expuser o impostor e revelar o verdadeiro eu, o maior medo é ser abandonado por meus amigos e ridicularizado por meus inimigos.

_____________________
Extraído do capítulo 9 de
O impostor que vive em mim
de Brennan Manning



---

Todas as citações de “O Impostor que vive em mim”:

1. Saia do esconderijo
2. O impostor
3. O amado
4. O filho de Abba
5. O fariseu e a criança
6. A presença do ressurreto
7. O resgate da paixão
8. Coragem e fantasia
9. O coração pulsante do mestre
10. O coração pulsante do mestre II
11. O Evangelho do homem (comentário)

Esse livro foi publicado pela Mundo Cristão.
Você pode comprá-lo aqui.

2 comentários:

  1. André12:19 AM

    Me identifiquei muito com a confissão do Brenan Maning. Só que quiabo eu até como, meu problema é mesmo com o giló. Mas seria melhor o mundo se pudéssemos ser nós mesmos sem precisarmos nos esconder tanto por causa do medo da reação dos outros...

    ResponderExcluir
  2. E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai!

    Gálatas 4:6

    Você consegue lembrar de algum momento da vida dissociado de sensações como a culpa, o desgosto, a ansiedade ou o tédio? Talvez tenha algumas recordações da infância ou da juventude. Mas onde foram parar a paixão, a esperança, o vigor e a alegria daqueles tempos? Por que parecem tão inatingíveis hoje em dia? Se essas questões o incomodam, saiba que há muita gente no mundo tentando encontrar as mesmas respostas — gente que perdeu a doçura, a noção da riqueza dos gestos simples, a medida da amizade, a sensação de conforto proporcionada pela certeza do Deus que participa de nosso dia-a-dia. O “Papai” Aba, ao qual Jesus rogou no Calvário, está pronto para nos ajudar a deixar a vaidade de nossos zelos que, por maiores que sejam, jamais serão suficientes.

    recomendo...

    ResponderExcluir